Canal de Saint Martin é passeio fora do óbvio em Paris

Por Christian Brandão

23 maio, 2016
Canal de Saint Martin - Paris
O canal Saint Martin foi pensado por Napoleão para abastecer a capital francesa | foto: Christian Brandão

A idéia foi de Napoleão, em 1802. Originalmente o canal parisiense de Saint-Martin, no no 10º arrondissement, foi pensado para fornecer água para a cidade. Seus 4,5 quilômetros foram abertos em 1825 e mais tarde restaurados para o filme Hôtel du Nord, de Marcel Carné. Hoje o corredor de águas verdes é uma alternativa para mergulhar na autêntica rotina francesa.

Só os arredores e construções já valem uma visita. Depois de poucos passos aparecem toalhas estendidas no chão com vinhos, baguetes e muitos queijos, jogadores de bocha, gente conversando sem pressa e bicicletas indo e vindo.

Saint-Martin conecta o canal de l’Ourq e o lago de la Villette com o rio Sena. Aos domingos, o movimento dos veículos dá lugar a famílias e bicicletas nas ruas Quai de Valmy e Quai de Jemmapes.

Se você não fizer o passeio de barco pelo canal – a maneira básica e turística de conhecer a região -, vai com certeza presenciar o sobe e desce. Visitantes sempre esperam ansiosos as águas baixar para ver o barquinho passar.

Canal é um passeio delicioso fora do tradicional circuito turístico

[jj-ngg-jquery-slider width=”634″ height=”387″ gallery=”26″ center=”1″ controlnav=”false” effect=”fade” manualadvance=”true” order=”sortorder”]

 

Se seu roteiro em Paris for pela manhã, pare em algumas das pequenas padarias e leve debaixo do braço, além de um baguete, um croissant. Caso decida pela hora do almoço, reserve um tempo para sentar nos charmosos restaurantes às margens do canal. Simples – e deliciosos – têm preços e pratos convidativos.

Outra maneira de conhecer o canal, antes de chegar a Paris, é sentado em sua poltrona. O longa “O Fabuloso destino de Amelie Poulain”, de Jean-Pierre Jeunet, tem cenas nas pontes metálicas, assim como o já citado “Hôtel du Nord”.

Vale visitar

Dois lugares para você incluir no roteiro: o museu da cantora Edith Piaf, na rua Crespin du Gast, 5, e o Hôtel du Norde, na Quai de Jemmapes, hoje um restaurante que atrai descolados.

Para percorrer não só as margens do Saint Martin, mas toda Paris, uma boa pedida é pegar uma bicicleta. A capital francesa conta com o Vélib, um sistema que funciona tanto para moradores quanto para visitantes.

O esquema é o seguinte: com o cartão de crédito você paga um 1,7 euro por dia – e 9 euros por semana – para circular quanto quiser. Os primeiros 30 minutos não são cobrados.

 

Paris - Tina Magalhães  Roteiro sugerido » Jardim de Luxemburgo é galeria de arte a céu aberto em Paris

 

Veja mais roteiros em Paris » RoteirosIncríveis_Paris

Veja mais roteiros na Europa » RoteirosIncríveis_Europa

Confira ofertas de hotéis em Paris »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *