Tailândia reúne natureza exuberante e tradição milenar

por Tatiana Perim

28 maio, 2014
TATIANA PERIM / MOTTO SLOW TRAVEL
Tailândia - Grande Palácio, em Bangcoc
Grande Palácio, em Bangcoc

À primeira vista Bangcoc é frenética e incompreensível. A capital da Tailândia é uma cidade de 10 milhões de habitantes, caótica, com poeira, névoa, sujeira e um trânsito congestionando com tuks-tuks temerários. Mas ela guarda um contraste equilibrado entre o antigo e o moderno, tem uma beleza e graça surpreendentes e uma espiritualidade nata de seu povo.

Templos de Bangcoc

Permita-se se perder no Rattanakosin, o histórico bairro real da cidade, onde estão o Grande Palácio (antiga morada real) e o Wat Pho, o maior e mais antigo templo de Bangcoc. São vários templos dentro de um complexo só, com a maior coleção de imagens de Budas do país. A mais impressionante é o Buda deitado. A imagem é folheada a ouro, possui 46 metros de comprimento e representa a passagem de Buda para o nirvana.

Tailândia - Wat Pho, o maior e mais antigo templo de Bangcoc, possui mais de mil estátuas de Buda | Tatiana Perim
Wat Pho, o maior e mais antigo templo de Bangcoc, possui mais de mil estátuas de Buda | Tatiana Perim

 

Tailândia - Buda deitado, uma das principais atrações de Wat Pho: a imagem é folheada a ouro e possui 46 metros de comprimento | Tatiana Perim
Buda deitado, uma das principais atrações de Wat Pho: a imagem é folheada a ouro e possui 46 metros de comprimento | Tatiana Perim

Além de todas essas belezas, o Wat Pho possui a escola de massagem tailandesa mais conceituada do país. Todos podem fazer uma massagem nessa escola, é muito barato. Foi a melhor massagem que fiz nas últimas encarnações! Com mais de 3 mil anos, a técnica atingiu uma perfeição suprema. Criada na Índia, foi aprendida por monges tailandeses que queriam atingir relaxamento físico e mental, clareza da mente e saúde. Os terapeutas usam as mãos, cotovelos, polegares e até os pés na massagem, o que a torna uma experiência muito intensa, memorável. Recomendo.

Você pode atravessar toda a cidade por cima através de um complexo de viadutos, como se fosse uma “highway” com vista para templos e edifícios antigos. O transporte público é ótimo e super eficiente. Aliás os metrôs e barcos são o meio mais barato e agradável de ver a cidade, livrando-o de ruas enfumaçadas. Há muita coisa pra fazer e ver nessa cidade dinâmica e única.

Tailândia - Ayuthaya Historical Park fica a uma hora e meia de carro de Bangcoc | Tatiana Perim
Ayuthaya Historical Park fica a uma hora e meia de carro de Bangcoc | Tatiana Perim

Há uma hora e meia de carro de Bangcoc (tem também um trem interligando as cidades) pode-se visitar Ayutthaya, uma pequena cidade cheia de ruínas incríveis. A cidade sofreu, como muitos dos wats em Ayuthaya Historical Park, a destruição e degradação quando os birmaneses invadiram em meados do século 18. Muitas das estátuas foram derrubadas e as cabeças dos Budas decepadas. Uma dessas cabeças foi deixada no chão e com o passar dos anos se entrelaçou com as raízes das árvores, e agora é a atração de maior destaque do Ayuthaya Historical Park.

Tailândia - Detalhe de árvore no Ayuthaya Historical Park | Tatiana Perim
Detalhe de árvore no Ayuthaya Historical Park | Tatiana Perim

Apesar de ser uma programa bem turístico, vale uma visita ao mercado flutuante. É uma experiência interessante. O mercado é um labirinto, congestionado de pequenas embarcações de madeira, que funcionam como barraquinhas flutuantes, sendo os comerciantes em sua maioria mulheres.

Tailândia
Barcos no mercado flutuante | Tatiana Perim

 

Tailândia
Cores no mercado flutuante: vale a visita | Tatiana Perim

De Bangcoc fui para o norte, Chiang Mai. Lugar perfeito pra quem procura trabalhos talhados na madeira, objetos de decoração, móveis e tecidos. Tudo é lindo e muito barato. Difícil não enlouquecer. Em Chiang Mai tem um templo deslumbrante, o Wat Phrathat Doi Suthep, comumente conhecido como Wat Doi Suthep. É o templo mais importante de Chiang Mai. Esse passeio fiz de bicicleta, é um pouco cansativo, mas vale muito a pena.

Tailândia
Elefantes na Patara Elephant Farm | Tatiana Perim

A experiência mais transformadora que tive na Tailândia foi em uma fazenda em Chiang Mai, a Patara Elephant Farm. Lá não basta querer andar de elefante, é preciso aprender sobre o animal, sua saúde, alimentação, cuidados especiais e higiene. Foi um dia inteiro como se eu fosse proprietária de uma elefante de estimação.

A Patara é uma fazenda que resgata elefantes que sofreram maus tratos ou que foram abandonados. A captação de recursos para sustentar a fazenda vem dos turistas, que pagam para cuidar e aprender sobre os bichos. É realmente um experiência única.

Tailândia
Picnic na fazenda Patara Elephant | Tatiana Perim

 

Tatiana Perim é publicitária e apaixonada por aventura e viagem. Ela possui um projeto de viagem com uma proposta de conduta interessante: ter mais calma e equilíbrio na vida. Dê uma olhada em seu blog: Motto Slow Travel 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *