As areias de Trujillo, no Peru: surfe e arqueologia em tradição milenar

Por Arthur Seixas

19 jan, 2018
Trujillo - Peru
Casa de areia: sítios arqueológicos mostram cidades feitas de tijolos de barro em Trujillo | Arthur Seixas

De 3.400 metros de altitude para o nível do mar, os Andes ficavam para trás à medida que o avião tomava o norte, com direção a Trujillo, terceira maior cidade do Peru, com quase 1 milhão de habitantes. As montanhas deixavam de fazer parte da paisagem, mas os tons pálidos e terrosos continuavam a dominar o cenário com cara de deserto. Do aeroporto para o centro da cidade, nada no horizonte a não ser uma enorme rodovia em linha reta que cortava um mundo de areia em pequenas elevações.

Sem nem mesmo deixar as malas no hotel, o carro de repente estaciona próximo a um muro alto, totalmente construído de terra. Por um momento, parecia que camelos começariam a surgir. A sensação era de ter sido transportado para algum país do Oriente Médio. Mas não era engano. Aquela era a porta de entrada para uma das cidadelas de Chan Chan, capital do Império Chimu, civilização que viveu por essas bandas por volta do século IX.

Trujillo - Peru
A entrada da cidadela de Chan Chan, construída pela civilização Chimu | Arthur Seixas
Trujillo - Peru
Ondas e peixes nas gravuras das paredes marcam a forte influência do mar | Arthur Seixas

A visão é impressionante! Uma enorme fortaleza inteiramente construída – pasmem – de tijolos de barro. Parece piada, mas claro que isso tem um grande motivo. Trujillo está mesmo numa área desértica. Portanto, chuva aqui é algo raro. E isso por que estamos falando dos dias atuais, em que as condições climáticas já mudaram. O El Niño – aquecimento das águas do Oceano Pacífico, que traz precipitações para essa área – hoje é mais frequente, mas naquela época era extremamente incomum. Por isso, foram erguidas diversas cidades de areia, com muros que chegavam a 28 metros de altura e abrigavam cerca de 100 mil pessoas. Esse patrimônio da humanidade, que tem nove cidadelas preservadas, ocupa uma área de aproximadamente 14 mil metros quadrados, para se ter ideia da dimensão do lugar.

Trujillo - Peru
Escavações sob proteção das intempéries do clima | Arthur Seixas
Trujillo - Peru
Detalhe das figuras esculpidas sobre o barro | Arthur Seixas

Se você achava que isso já era o bastante, pois respire fundo. Trujillo é um verdadeiro paraíso para quem se interessa por arqueologia. Aos pés do Cerro Blanco, montanha considerada sagrada, foi construída mais uma cidade de areia: a Huaca de la Luna. Adoradores da lua, os Moche (século I a VII) ergueram esse templo em homenagem à sua deusa. E que homenagem! Todo edificado em níveis piramidais, é no interior que pode ter ideia da genialidade dessa civilização. As paredes são todas cobertas de gravuras coloridas em alto relevo. Muitos dos desenhos mostram profundo conhecimento sobre simetria e matemática.

Trujillo - Peru
Gravura Moche em cores na parede da Huaca de la Luna | Arthur Seixas
Trujillo - Peru
Ruínas da Huaca de la Luna aos pés do Cerro Blanco | Arthur Seixas

 

Da areia das huacas para a areia da praia

Trujillo ainda reserva surpresas, principalmente para quem se liga no surfe. A costa norte do Peru é uma das referências mundiais para a prática do esporte e conta com praias famosas que atraem surfistas de todo o mundo, como Huanchaco e Pacasmayo. Não só pelas ondas, mas também por conta dos caballitos de totora, uma espécie de canoa feita de fibra de junco, usados há séculos pelos pescadores da região.

Embora não sejam duradouros – resistem, em média dois meses, por causa do contato com a água – são extremamente versáteis. Além de funcionarem como pequenos barcos de pesca, podem ser utilizados como prancha, seja para radicalizar nas manobras, seja para relaxar no stand up paddle a curtir o balanço mais calmo do mar. São as areias de Trujillo mostrando para o mundo que o norte do Peru tem tradição e história de sobra.

Trujillo - Peru
Chegada triunfante: stand up paddle sobre os caballitos de totora | Arthur Seixas
Trujillo - Peru
O antigo e o novo: tradição do surfe representada na prancha e nos caballitos de totora | Arthur Seixas

 

Como chegar e onde ficar em Trujillo

A Latam opera o trecho Cusco – Trujillo todos os dias da semana, com um voo diário.  O Hotel Casa Andina Premium Trujillo oferece conforto e modernidade num dos bairros mais badalados da cidade, El Golf.

 

Veja também:
11 dicas valiosas de lugares para desbravar na região de Cusco»

_ _ _ _

Arthur Seixas é fotógrafo e jornalista especializado em viagens, turismo, paisagens e vida selvagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *