11 paradas imperdíveis no caminho de Santiago de Compostela

Por Pedro Fachada

11 jul, 2013
PEDRO FACHADA

A peregrinação a Santiago de Compostela foi provavelmente a primeira grande rota de turismo de massa da história. Na idade média, milhares de fiéis de todos os cantos da Europa enfrentaram os mais diversos desafios para chegar ao lugar onde, acredita-se, foi enterrado o apóstolo Santiago. Numa época em que a maior parte da Península Ibérica ainda estava sob domínio muçulmano, a igreja católica fomentou a imagem de Santiago como santo guerreiro e estimulou a peregrinação em massa ao seu túmulo.

Para facilitar o acesso, os diferentes reinos situados no que é hoje o norte da Espanha ergueram uma invejável infraestrutura – fortalezas, estradas, pontes, hospedarias, mosteiros e catedrais. Estas construções deram origem a diversos povoados e cidades que, mais de mil anos depois, continuam acolhendo peregrinos e aventureiros. Junto a montanhas cobertas de neve, vales incrivelmente verdes, bosques de contos de fadas e campos intermináveis de trigo, esses povoados e cidades são hoje a grande atração do caminho. Abaixo, alguns destaques.

01. Saint Jean Pied-de-Port

Não existe propriamente um “caminho” de Santiago, mas sim diversas rotas que levaram os peregrinos desde o século XI até o túmulo do apóstolo. A maioria das vias que vinham do norte e centro da França convergia para a pequena cidade de Saint Jean Pied-de-Port, originando o chamado caminho francês. A cerca de 800 quilômetros de Santiago, Saint Jean é hoje um dos pontos de partida preferidos dos peregrinos, especialmente daqueles que não querem perder a oportunidade de cruzar os Pirineus. A travessia das montanhas que separam a Península Ibérica do resto do continente é possivelmente a etapa mais difícil e mais bela de todo o caminho francês.

Saint-Jean Pied-de-Port é uma cidade pequena e charmosa, com pouco mais de mil habitantes. A parte antiga é cercada por muralhas e guarda os restos de uma fortaleza que vigiava os vales e montanhas da região. A igreja de Nossa Senhora e a maior parte dos edifícios medievais se debruça sobre a rua principal, cortada ao meio por um rio de águas incrivelmente escuras.

caminho de Santiago de Compostela - St. Jean Pied-de-Port
Neblina cobre St. Jean Pied-de-Port, um dos pontos de partida mais populares do caminho | Pedro Fachada

02. Pamplona

Pamplona é a primeira cidade “grande” no caminho francês. Antiga capital do reino de Navarra, seu centro histórico amuralhado tem traçado medieval que esconde palácios renascentistas e uma das mais belas catedrais da Europa. Nas sacadas dos edifícios estreitos, bandeiras bascas nos recordam a todo instante que estamos numa Espanha diferente. O centro histórico se mistura  elegantemente com bairros modernistas, marcados por largas avenidas e numerosas praças e jardins. Com duas boas universidades, Pamplona é uma cidade cheia de jovens, desafiando o padrão demográfico dominante que se percebe na maioria das cidades do caminho.

caminho de Santiago de Compostela - centro histórico de Pamplona
A noite cai sobre o centro histórico de Pamplona | Pedro Fachada

03. Santo Domingo de la Calzada

Santo Domingo de la Calzada é um dos muitos povoados do caminho que nasceu em função da peregrinação a Santiago. Seu fundador, Domingo Garcia, foi um eremita que se instalou na região e construiu com as próprias mãos uma estrada (calçada), uma hospedaria e um hospital para dar assistência aos viajantes. A cidade também ficou famosa pelo milagre da galinha. No século XIV, um jovem peregrino foi falsamente acusado de roubo e condenado à morte. Quando seus pais se preparavam para enterrar o corpo, o rapaz contou que permanecia vivo pela graça do santo. Os pais imploraram então ao juiz pelo corpo do filho “morto”. Enquanto jantava, este zombou da ideia de que o condenado pudesse estar vivo, só se convencendo do contrário quando a galinha assada que devorava começou a cantar. A catedral mantém um galo e uma galinha vivos num altar, junto às relíquias do fundador da cidade.

caminho de Santiago de Compostela - Santo Domingo de la Calzada
Vista dos telhados de Santo Domingo de la Calzada | Pedro Fachada

04.Viloria de Rioja

Viloria é um desses povoados quase esquecidos do caminho –  pouco mais de 60 habitantes –  mas cheios de caráter. A grande atração para nós, brasileiros, é o albergue de Acácio e Orietta, que como o nome sugere é tocado por um casal formado por um brasileiro e uma italiana. Amigos de Paulo Coelho, dedicam cuidados quase maternais aos seus hóspedes. Este é o lugar certo para tratar bolhas do pé, tendinites ou qualquer outro mal que apareça na jornada.

caminho de Santiago de Compostela - Viloria de Rioja
Arquitetura típica da pequena Viloria de Rioja | Pedro Fachada

05. Burgos

Antiga capital de Castela, Burgos é uma das cidades mais fascinantes da Espanha. Sua maior atração é a catedral gótica, construída, remodelada e ampliada ao longo de séculos. Praças e ruas renascentistas se entrelaçam no atraente centro histórico. Aproveitando a proximidade da serra de Atapuerca, onde foram encontrados os vestígios mais antigos da presença humana na Europa, a cidade sedia o imperdível Museu da Evolução Humana.

caminho de Santiago de Compostela - catedral de Burgos
A imponente catedral de Burgos | Pedro Fachada

06. Leon

Outra das cidades cuja origem remonta ao período anterior à formação da Espanha atual, seu casco antigo é um labirinto de ruas estreitas e becos, hoje tomados por um sem número de animados cafés, bares e restaurantes. Sua catedral é famosa pelos 737 vitrais, que levaram oito séculos sendo instalados.

caminho de Santiago de Compostela - Plaza Mayor de Leon
A sempre animada Plaza Mayor de Leon | Pedro Fachada

07. Astorga

Com mais de dois milênios, Astorga era centro de uma área mineradora importante no período romano. Daqui saia um caminho que levava, pelo sul da França, ouro e prata para Roma. Parte dessa via seria mais tarde aproveitada pelos peregrinos a Santiago, integrando o que hoje conhecemos como caminho francês. Ao lado da imponente catedral gótica se ergue o palácio episcopal, obra de Gaudí. Como quase todas as construções do arquiteto catalão, é um projeto bastante polêmico. Muitos críticos insistem que o palácio deveria ter sido construído na Disneylândia.

caminho de Santiago de Compostela - Palácio Episcopal de Gaudi
O controverso Palácio Episcopal de Gaudi | Pedro Fachada

08. Cruz de Ferro

A Cruz de Ferro marca o ponto mais alto do caminho francês. A rigor, não é uma parada a não ser para aqueles que resolvem descansar no local – quando o vento forte permite. Tem apenas uma pequena capela e o mastro alto onde se assenta uma cruz. Mas é um dos lugares de maior simbolismo do caminho. A tradição manda que, ao chegar à Cruz de Ferro, os peregrinos depositem uma pedra na sua base e façam seus pedidos.

caminho de Santiago de Compostela - Cruz de Ferro
Peregrinos depositam suas pedras na Cruz de Ferro | Pedro Fachada

09. O Cabreiro

O Cebreiro é um desses povoados do caminho cujo número de casas – todas invariavelmente de pedra – se conta nos dedos das mãos. É no entanto um dos mais famosos graças à sua espetacular localização no cume de uma serra e ao que se supõe seja seu passado celta. Tenham ou não druidas habitado estas paragens, muitos exaltam seu caráter mágico. O misticismo do local é reforçado pela veneração ao milagre da hóstia. Conta a lenda que no século XIII, num dia particularmente frio, um único fiel foi à missa e o padre teria lhe recusado a comunhão. A hóstia então se transformou em carne viva, enquanto uma imagem em madeira da Virgem se curvou. Mesmo aqueles viajantes que não acreditam em milagres tendem a concordar que o Cebreiro tem uma energia toda especial.

caminho de Santiago de Compostela - Cebreiro
Montanhas parcialmente escondidas em torno de o Cebreiro | Pedro Fachada

10. Santiago de Compostela

Entre as paradas no caminho, não podia faltar Santiago, destino final para os cerca de 200 mil peregrinos que em 2012 completaram pelo menos 100 quilômetros caminhando ou 200 quilômetros pedalando em direção à cidade. Todas as ruas do centro histórico convergem para a praça principal, onde se situa a catedral, uma das mais impressionantes construções religiosas do mundo. A grande atração é a missa do meio-dia com a bendição dos peregrinos e a famosa cerimônia do botafumeiro. No final da missa, um turíbulo gigante é lançado ao ar, inundando a catedral com o aroma de incenso. Diz-se que a tradição remonta à idade média, quando o incenso mitigava o mau cheiro dos viajantes. Banhados ou não, hoje os peregrinos dão um toque especialmente alegre à cidade. Todos parecem se conhecer e trocam cumprimentos. Apesar das marcas de cansaço, é visível nos rostos o orgulho de ter feito o caminho.

caminho de Santiago de Compostela - catedral de Santiago de Compostela
Iluminação noturna da catedral de Santiago, destino de 10 entre 10 peregrinos | Pedro Fachada

11. Finisterra

Finisterra era considerada o fim do mundo na antiguidade. Na idade média, os antigos ritos pagãos se misturaram à tradição cristã. Nasceu assim o costume de prolongar o caminho de Santiago, terminando a romaria à beira do mar, no final do mundo conhecido. Aqui os peregrinos aproveitavam para queimar suas roupas usadas antes de iniciar o caminho de regresso. Mais simbólico impossível. O cabo de Finisterra permanece como um lugar de incrível beleza e merece ser visitado, mesmo por aqueles que vejam Santiago como seu destino final.

caminho de Santiago de Compostela - Finesterra
Paz no fim do mundo | Pedro Fachada

 

Pedro Fachada é economista e “viajeiro” frequente. Devorou o caminho de Santiago ao longo de 34 dias entre maio e junho de 2013

Veja mais roteiros na Europa »

Veja oferta de hotéis na Espanha »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

42 comentários sobre “11 paradas imperdíveis no caminho de Santiago de Compostela”

  1. Oi pedro meu nome é Vera, tenho planos para percorrer o caminho de santiago – o mesmo que voce fez – em junho de 2014 .tenho 55 anos e bom preparo fisico.petendo viajar sozinha.Voce acha seguro? é uma boa epoca? Obrigado

  2. Oi, Vera,
    O caminho é muito seguro. Na verdade, cansei de cruzar com homens e mulheres de todas as idades fazendo o caminho sozinhos – alguns até de forma surpreendente, porque não tinham preparo físico mas fizeram do caminho uma história de superação. Junho ainda é bom, mas no final do mês começa a ficar muito cheio com o verão e as férias européias. Se possível, vá na primavera ou outono, não apenas por causa da multidão do verão, mas especialmente porque as cores da paisagem ficam mais vivas.

  3. Olá Pedro gostaria que nos esclarecesse algumas dúvidas. Pretendemos ir, eu e minha esposa, em Setembro 2014, até Compostela. Dispomos de 15 dias e – a priori – estimamos percorrer 300 km. Teria uma boa indicação onde poderíamos iniciar nossa jornada sem perder as melhores paisagens? Grato, Forte abraço!!!!

  4. Oi, Celso, tem várias formas de vocês organizarem o Caminho nesses 15 dias. Entre os europeus que estão ali pertinho, por exemplo, é comum fazer “etapas” de uma ou duas semanas em diferentes anos. Também é comum fazer só algumas partes do Caminho – por exemplo, Navarra e Galícia, que são as regiões mais interessantes, com a vantagem de evitar a caminhada na meseta espanhola, etapa relativamente mais monótona. Assim, vocês podem iniciar a caminhada em Léon, cidade de fácil acesso a partir de Madrid, e ir até Santiago. Dependendo do ritmo, são entre 12 a 14 dias. Neste itinerário, vocês perdem a oportunidade de conhecer Navarra no leste da Espanha, o que é uma pena. Uma alternativa é começar em Roncevalles ou em St. Jean-Pied-de-Port (dependendo de vocês quererem ou não enfrentar a travessia dos Pirinéus), caminhar até Pamplona, pegar um trem de Pamplona até Astorga e recomeçar o Caminho. Neste caso, vocês precisam de duas semanas, mais um dia para a viagem de trem. É fácil verificar na página da RENFE (empresa de trens) horários para fazer o planejamento. Um abraço e boa viagem!

  5. Olá Pedro, quero fazer o Caminho francês. Como faço para chegar a cidade de partida? A passagem pelos purineus é muito difícil, vc tem fotos? Tem muita gente andando sozinho, pois acho que não conseguirei companhia tendo em vista o longo tempo da caminhada?
    Abraço

  6. Oi Pedro. fascinante as fotos e os relatos. estou empolgado. VOU fazer a caminho todo. tenho reservado já 40 dias para isso, pois quero fazê-lo curtindo cada trecho do caminho. tenho 61, sou um romeiro contumaz. há 46 anos invariavelmente faço Piracicaba Pirapora. são apenas 120km mas o suficiente para saber o que me espera em 800 e poucos kms. Gostaria de algumas dicas importantes e deixar aki um convite a quem quiser comigo se aventurar já na primeira semana de setembro atá outubro. moro em Piracicaba, int. de sp. e aqui segue meu email para quem estiver interessado: esiopoeta@bol.com.br

  7. Oi, Judemberg,
    Tem várias formas de chegar a St. Jean-Pied-de-Port, inicio do caminho francês. O mais comum é voar para Madrid e de lá fazer conexão (ou ir de trem) para Pamplona. De Pamplona até St. Jean, há um ônibus diário (mas cheque o horário e coordene a chegada a Pamplona). Uma alternativa é dividir um taxi, tem sempre gente esperando a oportunidade na estação de trem de Pamplona. Outra opção via Madrid é fazer conexão para San Sebastian, no país basco (aliás, uma cidade belíssima). Do aeroporto de San Sebastian, quase na fronteira com a França, você pode tomar um taxi para Bayonne no país vizinho (é bem próximo) e de lá o trem para St. Jean. Você também pode voar para Bordeaux ou Biarritz na França, e dessas cidades ir de trem via Bayonne. Eu comecei meu caminho em Bordeaux, cidade com voos das principais companhias europeias que fazem a rota do Brasil à Europa (Tap, Iberia, British, Air France, KLM, Lufthansa). E em Bordeaux você ainda pode desfrutar de algumas horas na cidade com os melhores vinhos da França.
    A subida dos pirinéus é puxada, mas é possível fazer num dia. Se vc estiver com dúvidas sobre sua capacidade, tem uma parada (Orisson) no meio da subida. Conheci alguns caminhantes que estavam temerosos e resolveram dividir a subida em duas etapas, mas se arrependeram…
    Ao longo do caminho você vai cruzar com muita gente, inclusive brasileiros. Mesmo que vc esteja sozinho, acabará encontrando algumas pessoas tantas vezes que é impossível não ter companhia….
    Boa viagem e aproveite

  8. Esiopoeta,
    Cansei de cruzar com pessoas de 70 ou mesmo 75 anos fazendo o caminho. O importante é seguir no seu ritmo, sem afobação nem tentativa de queimar etapas. E vale a pena algumas paradas para descansar e visitar as atrações de certas cidades, por exemplo, Pamplona, Burgos e Leon. Não vejo vantagem nenhuma no exemplo de alguns caminhantes que se vangloriam de fazer o caminho em 27 ou 28 dias mas não visitam nenhuma catedral…

  9. Olá! Sou de São Paulo e vou fazer o caminho de Santiago no começo de junho, gostaria de saber se alguém pretende ir nessa época.

  10. Ola. Vou fazer o Caminho no final de maio e durante o mes de junho. Aberto a companhia! Parto de San Jean.

  11. Tem um pequeno erro noseu post. A Orietta do refúgio em Viloria de la Rioja é italiana e não espanhola….

  12. Parabéns, Pedro! Fantásticos o seu texto e fotos, tornados um verdadeiro guia turístico. Infelizmente não tenho condições de me aventurar.Vi o filme O Caminho que me impressionou muito, e você me fez voltar àqueles lugares plenos de misticismo. Sinto como se o tivesse feito mentalmente. Grata por isso.

  13. Qual sua sugestão para abril de 2015, e em quantos dias poderemos realizar o Caminho á pé ou bicicleta.

  14. Olá Pedro, tenho 10 dias para fazer o caminho de Santiago de Compostela. O que você sugere? Onde devo sair? Eu e o meus esposo iremos no mês de outubro. Obrigada

  15. Oi Pedro,
    Primeiro parabéns pela reportagem, pretendo fazer o Caminho e por isso venho pesquisando muitos blogs, sites e trocando ideias com pessoas que já concluíram.
    Gostaria de saber a sua opinião a respeito do tempo para fazer o Caminho francês, quero poder visitar algumas cidades ou vilarejos do trajeto.
    O que você sugere? quantos dias poderia fazê-lo, quantos quilômetros por dia você me aconselha. Tenho um condicionamento físico regular.
    Abraço e Obrigada!

  16. Olá Pedro.
    Sabes onde consigo pela net um site com a lista de pessoas que estarão fazendo o caminho esse ano? estarei indo dia 09/09/2014

  17. Olá!
    Sou estudante de letras-Português e Espanhol. Nesse semestre temos que apresentar um trabalho sobre uma viajem…escolhi, Caminhos de Santiago. Gostaria de saber sua opinião de qual caminho é mais interessante eu apresentar aos meus colegas, tenho que fazer um roteiro saindo da minha cidade, dizer os meios de transporte, o custo de transporte, alimentação e hospedagem, bem como os pontos turísticos que vou visitar. Se você tiver algumas dicas para me passar, principalmete as rotas e algumas fotos, ficarei grata!
    Um abraço…Cláudia

  18. Olá! Três anos atrás fiz o Caminho Português de Bike – Porto a Santiago – excelente caminho! Ano passado fiz o Caminho Inglês a pé – menos bonito e de hospedagem fracas! Ano que vem penso de bike fazer parrte do Caminho Francês seguindo a rota do Norte – litorânea até Santander e após Santiago. Alguém já fez o caminho do norte de bIke? Se sim poderiam me dar dicas via Bike e possíveis dificuldades? Panso em fazer no final de junho/2015. Grato. Victor.

  19. Olá Pedro. eu e meu marido estamos planejando percorrer parte do caminho. Dispomos de pouco tempo, entao pensamos em fazer no máximo 150 Km, poderia nos dar sugestões de onde partimos e da rota. Desde ja fico grata.

  20. Oi, Eliane, atualmente só estou com as fotos publicadas na minha conta do instagram (procure por pedrofachada). A conta é aberta.
    Abraco.

  21. Camille, minha sugestão é que você faça o final do percurso. Calcule entre 20 e 25 quilômetros por dia, portanto você poderia fazer uns 6 a 7 dias. Você poderia, por exemplo, começar em O Cebreiro, um dos lugares mais bonitos e simbólicos do caminho, e chegar em Santiago em 7 dias. É um trecho feito por muitos espanhóis que fazem apenas parte do caminho. E boa caminhada.

  22. Oi, Claudia, não há dúvida que o caminho francês é o mais completo, mais simbólico e mais tradicional. Eu seguiria essa opção. Além disso, passa em cidades como Leon, Pamplona e Burgos, que estão entre as mais bonitas e mais carregadas de herança histórica da Espanha. Como você fala espanhol, consulte o guia “El Camino de Santiago en tu Mochila – Camino Francés”, de Antón Pombo, que é o melhor guia que encontrei até hoje do caminho. Achei todos os guias publicados até hoje em português muito pobres e pasteurizados, esse guia que indiquei é muito bom. Na internet, você também encontrará muita informação (especialmente em espanhol) e fotos.

  23. Sylvia, olha, eu vi gente fazendo o caminho francês em 29-30 dias, mas eu mesmo optei por fazer em 34 dias para poder conhecer melhor algumas das cidades do percurso, como Pamplona, Astorga ou Burgos. Notei que as pessoas que faziam o caminho todo em menos dias acabavam “sacrificando” algumas horas em cidades que às vezes justificavam uma estadia mais longa. Portanto, como você quer visitar cidades e vilarejos do trajeto, sugiro programar 34/35 dias para fazer o caminho francês, de St. Jean até Santiago. Isso dá em média 22 km por dia. É bem factível.

  24. Oi, Dantas, a pé o caminho francês exige de 29 a 35 dias. De bike, bem menos, cruzei com pessoas que fizeram o trajeto em 15-16 dias. Em alguns trechos, o caminho de bike se separa do caminho tradicional (por exemplo, nos Pirineus) e o consenso é que os caminhantes encontram em geral paisagens mais bonitas. De qualquer forma, não posso dar muita opinião sobre isso porque não fiz o caminho de bicicleta.
    Mas qualquer que seja a sua opção, tenho certeza que você vai gostar. Bom caminho.

  25. ola pedro meu nome e osvair ponsoni. estou tentando fazer esta caminhada desde 2005 e sempre a um atrapalho, mas prometi a mim mesmo que em 2015 vou fazer esta maravilhosa caminhada. tenho 55 anos. nao da para esperar muito, pretendo fazer o caminho françes.
    grande abraço.

  26. Caro Pedro, seu roteiro é incrível e estimulante. Restam duas duvidas. O tempo médio da caminhada francesa. E se a viagem entre final dez a jan 15 é adequada?
    Abs

  27. Olá Pedro, vou com meu marido em setembro de 2016, pretendemos aproveitar muito o caminho, sem pressa. Gostaria de saber se vou necessitar fazer reserva em hotéis ou hostels privados, para ficar mais dias, ou se consigo um lugar sem reserva. não gostaríamos de ficar em albergues toda a caminhada. obrigada.

  28. Assisti ontem ao filme ‘O Caminho’, achei inspirador. E neste artigo pude viajar on line e quem sabe algum dia conhecer essas maravilhas de perto!

  29. Oi Pedro, meu nome é Dione e adorei suas dicas, belo trabalho, em setembro vou percorrer os lugares que gosto entre Portugal e Espanha e pretendo terminar em Finisterra.
    Espero encontrar as cores vivas de seu comentário.
    Obrigada
    Dione

  30. Boa noite. Estou querendo fazer o caminho de bike em 15 dias, saindo de Burgos. Em 15 dias eu consigo chegar na catedral de Compostela? É possível eu levar minha bike daqui do Rio de Janeiro? Gostaria de obter maiores informações sobre como devo proceder, desde a compra das passagens. Obrigado. Mário

  31. Prezado Preciso de uma dica.Vou fazer os últimos 100km a partir de SARRIA mas gostaria de conhecer O CEBREIRO.Estou partindo do PORTO.Existe ônibus de lá para O CEBREIRO e do Cebreiro para SARRIA?Desde já agradeço a sua atenção Francisco

  32. De fato esses lugares são lindos e imperdíveis… mas coloco mais três lugares imperdíveis nesse pacote: CASTROJERIZ, CARRION DE LOS CONDES E MANSILA DE LAS MULAS… Mas ainda ficam de fora outros lindos lugares… Precisaria sim, refazer o caminho e parar em todos os lugares que foram apenas passagem da jornada… TFA esiopoeta

  33. Olá Pedro, mto legal seu site, parabéns 🙂 Estou planejando fazer o Caminho agora no início do mês de junho- tenho 34 anos e irei sozinha. A princípio tenho de 10 a 12 dias para fazer parte do Caminno – e minha escolha seria sempre pelos trechos com “maior” natureza. O que vc me sugere? Em 10-12 dias já se pode ter uma idéia do que é o caminho? Obrigada pela ajuda 🙂 !

  34. Ola Pedro, o mes de setembro, a partir de 13, é bom para percorrer o caminho? Ainda é cheio ou faz muito calor? Grata

  35. Oi Pedro quero fazer o caminho com meu pai e temos 10 dias, mas quero um trecho que não tenha muitas subidas seja mais leve mas que tenha mais castelos, cidades medievais, o que você aconselha?

  36. Oi Pedro, já falamos antes… fiz compostela em 14 e 15, incrivel. fui reprovado. tomei bomba. A alma pede que eu o repita ano que vem.. pela terceira vez, qdo vou estar com 65 anos… Vamos nessa… vamos nessa. Domingo agora, dia 9 de abril começo minha romaria a Pirapora pela 50a vez… cinquenta anos de caminhada… mas ano que vem… compostela novamente em agosto setembro.