Conheça Edimburgo seguindo os passos dos grandes escritores

Por Fernando Porto

4 jun, 2017
Castelo de Edimburgo-Escocia
O famoso Castelo de Edimburgo com projeção de poema – homenagem à Cidade da Literatura | Chris Scott / Divulgação

O que há em comum entre Robert Louis Stevenson e J.K. Rowling, além do fato de serem escritores famosos separados por séculos de seus auges? Eles estão ligados a Edimburgo, uma cidade que sempre abrigou e inspirou grandes mestres da escrita e mantém até hoje sua sina milenar de resistir, preservar e proteger a boa leitura.

Em uma era em que o bom e velho livro (ou e-book) tem sofrido com o mundo high-tech das informações rápidas e curtas, e tem perdido seus fiéis adeptos a cada ano por causa desse frenético cotidiano devorador do tempo, Edimburgo honra sua origem de fortificação para resistir à onda preguiçosa da leitura fácil.

 

 

Promoção de passagem para Edimburgo-Escocia-Europa Vai para a Escócia? Pesquise ofertas de passagem

 

 

Edimburgo: primeira Cidade de Literatura do mundo

A capital escocesa é uma verdadeira ode à literatura em cada rua e em cada pedra de suas construções medievais, por onde já caminharam – e continuam caminhando – grandes romancistas, iluministas e filósofos.

Edimburgo-Escocia-Europa
Iluminação em fachada para celebrar a Cidade da Literatura | Pavel Lesnik / Divulgação

Não é à toa que a cidade foi designada, em 2004, como a primeira Cidade de Literatura do mundo pela Unesco. Para os moradores, a literatura faz parte de sua vida e de seus ancestrais de séculos longínquos obcecados em oferecer a melhor educação para seus semelhantes.

Livraria em Edimburgo-Escocia
Uma das famosas “bookshops” históricas. Cidade tem mais de 50 livrarias | Divulgação

Lá foi impresso o primeiro livro do país, em 1508. E vale lembrar que a Escócia foi uma das primeiras sociedades literárias da Europa e que, em 1496, aprovou em seu parlamento a primeira lei de educação compulsória do mundo que obriga a cada cidadão a enviar seu filho mais velho para a escola aos seis anos de idade.

A cidade abriga a belíssima Universidade de Edimburgo, fundada em 1583 – a quarta universidade mais antiga da Escócia e a sexta do Reino Unido.

Edimburgo-Escocia-cidade-da-literatura
Muro em homenagem ao escritor Alexander-McCall Smith, na Câmara da cidade | Tony Marsh / Divulgação

Hoje, o maior encontro entre escritores consagrados e seus leitores na cidade ocorre durante 17 dias no mês de agosto, coincidindo propositalmente com outros 11 festivais artísticos do verão escocês que tornam a capital um verdadeiro enxame humano.

O Festival Internacional do Livro de Edimburgo é considerado o maior e melhor evento literário do gênero, reúne em torno de 800 autores de cerca de 40 países (mais de 160 escritores são da Escócia) e recebe no período uma média de 225 mil visitantes – a cidade tem 450 mil habitantes.

 

Seguindo as pistas dos escritores

Grandes nomes da literatura mundial do passado eram escoceses e tiveram ligação direta com a cidade: Robert Louis Stevenson (autor dos clássicos “A ilha do Tesouro” e “O Médico e o Monstro”), J.M. Barrie (“Peter Pan”), Sir Arthur Conan Doyle (da série de livros de Sherlock Holmes), e Sir Walter Scott (considerado o criador do chamado romance histórico, com as séries Waverley e Ivanhoe).

A consagrada autora J. K. Rowling, da série “Harry Potter”, apesar de ter nascido na Inglaterra, vive em Edimburgo há 20 anos. A escritora já afirmou que foi em Edimburgo que Harry Potter tomou forma. Ela costumava sentar em um dos cafés da Cidade Velha rabiscando enquanto sua filha dormia ao lado em um carrinho de bebê. 

As ruas estreitas da capital escocesa, com casas antigas de pedra que abrigam muitas livrarias e cafés antigos, não deixam dúvidas que o cenário inspirou Rowling para as aventuras do cultuado bruxo adolescente. Por essa razão, os tours que exploram esses e outros lugares citados pela autora são os mais concorridos pelos fãs de Harry Potter.

Edimburgo-Escocia-J.K. Rowling
Para os fãs de Harry Potter: calçada com a marca das mãos J.K. Rowling | FERNANDO PORTO
Edimburgo-Escocia-harry-potter
Potterow Port, um tour pelas trilhas das histórias do famoso bruxo dos livros de J. K. Rowling | DIVULGAÇÃO

A cidade oferece vários tours inspirados em escritores famosos. No entanto, caminhando pela cidade com um bom mapa, o turista se depara com várias referências literárias.

Visitando a margem leste de New Town, chega-se a Picardy Place, local onde nasceu Conan Doyle, criador de Sherlock Holmes. Na Prince Street, o visitante pode subir no topo do famoso Monumento Scott, a maior obra do mundo dedicada a um escritor – Sir Walter Scott (1771-1832).

Monumento Scott-Edimburgo-Escocia
Monumento Scott: maior obra do mundo dedicada a um escritor | Fernando Porto

A torre, em estilo gótico vitoriano, tem pouco mais de 60 metros de altura (287 degraus) e foi concluída em 1846. Além da belíssima vista panorâmica da cidade em diferentes níveis, há 64 estátuas de personagens dos livros de Scott, além de um museu sobre a vida do escritor, conhecido como o “Mágico do Norte”.

 

Mais pontos turísticos literários em Edimburgo

Para beber uma boa cerveja escocesa, vale a pena conhecer o Deacon Brodie’s na Lawnmarket, quase na esquina com a Royal Mile – a principal via da Cidade Velha. Trata-se de um pub criado em homenagem a William Brodie, uma das inspirações para o romance “Médico e o Monstro” (“Strange Case of Dr. Jekyll and Hyde”), de Robert Louis Stevenson.

Já o Elephant House foi o café citado por J.K. Rowling como o local onde escreveu o primeiro livro de Harry Potter, assim como o Balmoral Hotel, na Pricess Street, foi onde a escritora deixou assinada uma declaração sobre um busto de Hermes em seu quarto, dizendo ter concluído lá o livro “Harry Potter Relíquias da Morte”, em janeiro de 2007.

the-elephant-house-Edimburgo-Escocia
The Elephant house: o café em Edimburgo onde o personagem Harry Potter nasceu | divulgação
grafite-harry-potter-the-elephant-house-Edimburgo-Escocia
Grafite sobre Harry Potter no Café Elephat House | Chris Scott / Divulgação

Entre a Cidade Nova e Velha, há a famosa estação ferroviária Waverley – nome do primeiro romance histórico e um do mais importantes do século 19 – criado por Sir Walter Scott e que foi publicado anonimamente.

Além desses, há muitos pontos turísticos literários que fazem a alegria dos amantes da leitura, mesmo que essas obras-primas sejam apenas lidas em e-readers e tablets da atual geração.

 

Small-SalzburgIMG_0907-e1309111435860 Veja também: Roteiro pelas locações de "A Noviça Rebelde", na Áustria

 

 

Fernando Porto é jornalista, escritor, terapeuta e editor da Agência Porto de Notícias, que oferece um conteúdo jornalístico diferenciado para o público de cultura, viagens, saúde e lifestyle

 

Dicas e Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *