11 dicas para uma viagem inesquecível de moto pela Europa

Por Tatiana Perim

30 ago, 2013
TATIANA PERIM / MOTTO SLOW TRAVEL

01. Em busca do lugar perfeito

A escolha do destino de qualquer tipo de viagem é a parte mais divertida, mas também a mais complicada. São tantos lugares incríveis no mundo que fica difícil de escolher. Basta viajar um pouco para conhecer cidades charmosas, montanhas imponentes, costas e praias de tirar o fôlego e sempre ficamos na dúvida. Mas há um comum acordo na hora da decisão entre os motociclistas. Se a viagem for de moto, ela será baseada na beleza das estradas por onde passará. Portanto, escolher o lugar perfeito, significa encontrar o destino que ofereça as estradas mais incríveis para uma viagem de moto inesquecível.

Os Alpes Suíços e Italianos esbanjam o seus famosos mountain passes, estradas lindas que conectam os lados de uma montanha. Chegam a grandes altitudes, e por isso, é possível visualizar uma diversidade de cenários diferentes que vão de florestas densas à picos nevados. Atravessar um mountain pass é uma experiência única, que a cada curva perde-se o fôlego de tanta beleza, além da diversão de pilotar nessas estradas radicais.

Sobre duas rodas por trajetos íngremes, na cordilheira dos Alpes e demais formações montanhosas é uma experiência única. Para os motociclistas, existem várias rotas especiais, as chamadas “rotas cênicas”. Algumas por onde passei foram Albula Pass, atravessando por St. Moritz e subindo novamente por Bernina Pass.

Vista da estrada Bernina Pass na Suiça | Tatiana Perim
Vista da estrada Bernina Pass na Suiça | Tatiana Perim
Bernina Pass | Tatiana Perim
Bernina Pass | Tatiana Perim

Depois de atravessar os Alpes Suíços não se pode deixar de conhecer os  Italianos. Pilotei em muitas estradas maravilhosas da Itália e as mais belas rodovias foram Passo dello Stelvio e Tre Croci. Trata-se de um verdadeiro “play ground” nas alturas com curvas sinuosas que permitem explorar o lado esportivo do motociclismo. E a vista é de cair o queixo! Outras estradas que recomendo são Passo Gavia, Passo Tonale e Passo Mendola.

Passo dello Stelvio, na Itália | Tatiana Perim
Passo dello Stelvio, na Itália | Tatiana Perim
As montanhas italianas do Passo Tre Croci | Tatiana Perim
As montanhas italianas do Passo Tre Croci | Tatiana Perim
Passo Gavia, na Itália | Tatiana Perim
Passo Gavia, na Itália | Tatiana Perim
Passo Mendola nos alpes italianos | Tatiana Perim
Passo Mendola nos alpes italianos | Tatiana Perim

Na Romênia, passei por uma estrada surreal chamada Transfagarasan. O país não me impressionou muito, mas essa rodovia é realmente algo chocante. Uma estrada que se encaixa perfeitamente no corpo da montanha. Parece um jogo de videogame, curvas fechadíssimas e uma vista extraordinária.

Transfagarasan, na Romênia | Tatiana Perim
Transfagarasan, na Romênia | Tatiana Perim


Montenegro
, esse país pequenino colado na Croácia oferece passeios muito interessantes também, além de estradas maravilhosas. Vale a pena incluir no programa um almoço no Hotel Aman na pequena ilha de Sveti Stefan.

Estradas de Montenegro | Tatiana Perim
Estradas de Montenegro | Tatiana Perim
A pequena ilha de Sveti Stefan | Tatiana Perim
A pequena ilha de Sveti Stefan | Tatiana Perim
Montanha Lovcen em Montenegro | Tatiana Perim
Montanha Lovcen em Montenegro | Tatiana Perim

02. A escolha da estação do ano

Não basta escolher o lugar perfeito, é preciso entender suas estações climáticas. A melhor época do ano é aquela que oferece uma temperatura agradável com pouca chuva e vento. Junho e julho na Europa são meses extremamente quentes e por isso o passeio pode torna-se bem desagradável, uma vez que o motociclista prudente deve estar sempre equipado, com roupas especiais, luvas e capacete.

No calor de 40 graus fica praticamente impossível pilotar com essa vestimenta, e pior ainda sem ela. Já no fim do ano é o outro extremo, temperaturas baixíssimas, neve, chuva. Melhor mesmo são as meias estações, de março a maio ou de setembro a novembro são épocas perfeitas para uma viagem de moto pela Europa. Mas lembre-se: ao passar pelos Alpes você sempre irá enfrentar baixas temperaturas, mesmo durante o verão.

As baixas temperaturas dos Alpes | Tatiana Perim
As baixas temperaturas dos Alpes | Tatiana Perim

Há um outro porém, além das altas e baixas temperaturas: é preciso tomar muito cuidado com o vento e a chuva. Na Croácia, esse vento violento tem nome: chama-se Bora. Muitas vezes é associado a chuva violenta, neve e a neblina. A característica dele são as fortes rajadas, capazes de derrubar uma moto de 400kg sem o menor esforço.

Sua potência é tanta que algumas rodovias são interditadas pelo perigo dos carros serem arremessados precipício abaixo. É mais frequente ao norte do Adriático entre outubro e março, mas não é uma regra. Eu lutei contra esse vento em agosto na Dalmácia, totalmente fora de época, e tive a infelicidade de sentir sua força violenta. Ele não está de brincadeira, por causa dele tive que mudar o meu trajeto. Foi uma decisão sábia, pois suas rajadas chegaram a 170km/hora. A dica é sempre checar as condições climáticas antes de escolher o destino. Seja na Europa, Ásia, Oceania ou Américas, o mau tempo poderá arruinar sua viagem.

Vista da estrada Bernina Pass na Suiça | Tatiana Perim
Vista da estrada Bernina Pass na Suiça | Tatiana Perim
Bora e sua força na Dalmácia | Tatiana Perim
Bora e sua força na Dalmácia | Tatiana Perim

 

 

03. O equipamento certo

Um bom equipamento é fundamental. Capacete adequado, balaclava, roupas com proteções, luvas e botas resistentes são imprescindíveis para o conforto e segurança na moto. Se você for alugar uma moto no destino e não quiser carregar todo esse peso, não esqueça de perguntar se eles oferecem também tudo o que você precisa para uma viagem segura e confortável.

Se for verão, assegure-se que a jaqueta e as calças possuem sistema de respiração, bem como as botas e luvas. Se for inverno, cheque se está levando roupa suficiente, não tem nada pior do que passar frio em uma viagem de moto. A dica são as camadas. Invista em roupas com tecnologias específicas para as diversas condições meteorológicas.

Além da roupa certa, há outros dois acessórios que fazem a maior diferença: GPS e intercomunicador. Há diversos tipos e marcas de GPS para motos e todos facilitam bastante a navegação. O intercomunicador também é indispensável, principalmente se estiver viajando a dois ou em grupo. Com ele você poderá se comunicar com seus companheiros de viagem de uma forma segura. Mesmo se estiver sozinho, com o intercomunicador você poderá ouvir os comandos do GPS, música e até mesmo atender telefonemas. Escolha bem esse aparelho, cheque o tempo disponível de conversação, com quantas pessoas ele faz conferências, qual o alcance e a compatibilidade.

O equipamento certo é fundamental | Tatiana Perim
O equipamento certo é fundamental | Tatiana Perim


04. Estudar o destino e estradas

Mesmo que você tenha o melhor GPS do planeta, nada como um planejamento detalhado para evitar surpresas desagradáveis. Para traçar um itinerário adequado, o bom e velho mapa é indispensável. Com ele você nunca ficará na mão. O GPS sempre pode falhar, as vezes não encontra as estradas escondidas que você tanto procura, te leva para lugares indesejados. Mas, com um mapa em mãos você sempre conseguirá se livrar dessas enrascadas.

Além de eventuais problemas técnicos, as vezes o GPS faz você dar voltas sem necessidade. Mais um motivo para não abrir mão do mapa. Para completar, faça a verificação final da sua rota no Google Maps e avalie distâncias a serem percorridas, reunindo informações sobre as condições do pavimento, sistema de pedágios, o clima e se existem postos para alimentação e abastecimento no caminho. O roteiro também deve estar ligado ao tipo de moto utilizada: uma esportiva pode ter problemas em trechos com lama, por exemplo.

Quanto mais você se munir de dados, melhor será a sua viagem.

 

05. Viajar sozinho e seus riscos

Viajar é sempre bom, sozinho ou em grupo. Eu nunca deixei de viajar só porque não tinha companhia. A viagem solo é transformadora, você está mais aberto a vivenciar a cultura local, a falar com estranhos, experimentar novos temperos e visitar lugares diferentes. Sozinho, você é o maestro do seu destino, o que é ótimo. Mas também, as vezes a solidão e a vontade de compartilhar um acontecimento se torna frustrante.

Por outro lado, quando a viagem é a dois ou em grupo, sempre há uma boa companhia, mas uma hora alguém vai precisar ceder e fazer aquilo que não está com muita vontade. O ônus e o bônus. Existe um outro aspecto sobre viajar sozinho de moto: a segurança. Se você se acidentar, acabar seu combustível, passar mal ou ter uma pane na moto, você está totalmente sozinho e as consequências podem ser fatais.

Viajando sozinha | Tatiana Perim
Viajando sozinha | Tatiana Perim
Viajando em grupo | Tatiana Perim
Viajando em grupo | Tatiana Perim

 

06. Conforto na moto

Em viagens curtas ou longas o conforto é essencial. Por isso há algumas medidas que se podem ser tomadas para sua maior comodidade.

Primeiro, o assento da moto. Esse é o acessório que irá te oferecer uma viagem incrível ou irá tornar a sua viagem um verdadeiro inferno. Sem um assento confortável, tudo pode ir por água abaixo. Outro ponto importante é a roupa. Além de confortável, ela não pode te machucar ou restringir seus movimentos. A postura: ombros e pulsos relaxados e coluna ereta é algo fundamental para quem viaja de moto. Para quem tem problemas nas costas, é sempre bom usar as cintas para a lombar, elas oferecem conforto e segurança.

E por último, faça paradas a cada 90 minutos para movimentar os músculos. Não importa o nível de conforto da sua moto, as paradas muito importantes. Só assim você conseguirá chegar inteiro ao seu destino.

 

07. Cuidados mecânicos e segurança

Alguns ítens básicos como calibragem dos pneus, nível de óleo do motor, fluído de freios e água do radiador devem sempre estar em dia. Assim a moto estará apta para percorrer longas distância. Mesmo com uma boa inspeção prévia, não deixe de ter nas viagens um bom kit de ferramentas, com uma providencial lanterna e fita isolante. Assim, se precisar fazer algum reparo básico ou ajuste como esticar a corrente, apertar o retrovisor, você mesmo poderá resolver. Além disso, é sempre bom levar um kit completo de primeiros socorros. Não que vá precisar, mas afinal, uma pessoa prevenida vale por duas.

Cuidados mecânicos e segurança são itens fundamentais nesse tipo de roteiro | Tatiana Perim
Cuidados mecânicos e segurança são itens fundamentais nesse tipo de roteiro | Tatiana Perim

08. Seja prático

Menos é mais. De moto, adotar o espírito minimalista é a saída. Não adianta levar muita roupa, tralha, calçados… O excesso vai te cansar e te irritar muito. Principalmente se estiver sozinho.

Se for uma mulher, essa será uma proeza. As mulheres, em geral, têm uma enorme dificuldade em praticar o desapego e ser minimalista na bagagem. Há sempre aquele medo de faltar a blusa linda, de não ter a sandália desejada e de não usar o casaquinho fofo. Esqueça. Você não conseguirá levar tudo o que quer. Seja prática, isso vai ser de muita valia quando tiver que carregar toda a sua bagagem depois de horas de viagem. Além de evitar que a moto fique pesada demais.

Economia na bagagem | Tatiana Perim
Economia na bagagem é fundamental | Tatiana Perim

09. Mantenha objetos pessoais e documentos bem acessíveis

É tanta vestimenta que quando precisamos da carteira, documentos da moto ou passaporte nunca conseguimos encontrá-los facilmente. Além das luvas não facilitarem, as jaquetas de moto têm tantos bolsos que acabam confundindo. A melhor opção é adotar um bolso específico e criar o hábito de sempre utilizá-lo para documentos. Isso fará toda a diferença no primeiro pedágio.

 

10. Adote o “slow travel”

Slow travel é mais que uma forma diferente de viajar, é uma filosofia de vida. É aprender a diminuir o ritmo frenético, para viver mais e melhor. É estar presente!

O slow travel incentiva a conexão com as pessoas, lugares e com a cultura local. A filosofia abomina as maratonas, defende as estadas mais longas, vai além de monumentos e museus, incentiva conversas com os moradores locais, o uso de transportes públicos, as mudanças de planos e tem sempre como objetivo viver uma experiência especial.

Qualquer um pode embarcar em uma viagem “slow”. Não importa se você tem 15 dias ou 15 meses de férias. Basta ter o desprendimento necessário para abrir mão de visitar tudo em troca do privilégio de quem viaja sem pressa.

 

11. Procure uma grande aventura

Viajar sem pressa é o lema, mas procurar uma grande aventura, algo autêntico e transformador durante as viagens, deve ser primordial.

Claro que “experiência” é algo muito pessoal. O que é incrível para mim, pode não ser para você. Cada um sabe do que gosta e com o que se emociona. Porém, às vezes, seja por pressa, preguiça, desatenção, medo ou desinteresse, deixamos de perceber alguns caminhos e possibilidades.

Nas viagens, o importante é buscar o diferente, experimentar o característico da região, sair do tradicional para, em meio a tantas descobertas, ganhar a grande chance de se transformar. Quem sabe você não se inspira com algumas ideias apresentadas aqui para suas próximas férias.

 

Tatiana Perim é publicitária e apaixonada por aventura e viagem. Ela possui um projeto de viagem com uma proposta de conduta interessante: ter mais calma e equilíbrio na vida. Dê uma olhada em seu blog Motto Slow Travel

Veja mais roteiros para a Europa » RoteirosIncríveis_Europa

7 respostas para “11 dicas para uma viagem inesquecível de moto pela Europa”

  1. Incrivelmente ilustrativo e dicas utilíssimas para o viajante disposto a enxergar um pouco além dos guias de viagem.
    Parabéns !

  2. Grandes percursos motociclisticos na Europa.
    Para quem estiver a pensar visitar Portugal aqui pode encontrar uma lista actualizada dos principais passeios e concentrações motards para 2014:

    [link=https://sites.google.com/site/motoclubesdelisboa/eventos/concentracoes] Concentrações Motards Portugal 2014[/link]

    Boas curvas 🙂

  3. Queria ver se tem algum roteiro para agosto de moto ,alugando uma Harley, pela Europa…Voces tem alguma sugestão?

  4. Gostei mto deste post. Belas imagens. Elas são muito convidativas. Dá vontade de pegar uma moto e sair sem rumo pela Europa. Irei para lá no final do ano, mas não andarei de moto. Estou pesquisando seguro viagem. Alguém pode me indicar empresas de confiança? Obrigado e abç.

  5. Bastante úteis as dicas da publicação. I like! Respondendo ao José Carlos, conheço a TouristCard. Eles dão 15% de desconto aos que apresentarem o código promo. Segue o meu para quem precisar: tourist15. Aí vai o site deles: http://www.touristcard.com.br Abração.

Dicas e Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios *