11 dicas para curtir Los Roques, na Venezuela

Por Simone Rodrigues e Ricardo Viana

31 maio, 2017
RICARDO VIANA
Los Roques
Los Roques: 42 ilhotas e 300 bancos de areia cercados de águas cristalinas | foto: Ricardo Viana


 

Com apenas 40 km², o pequeno arquipélago Los Roques, na Venezuela, é grandioso em beleza. São 42 ilhotas e 300 bancos de areia cercados de águas cristalinas e muitos recifes de corais. Confira um roteiro com dicas de como curtir esse pedacinho de paraíso no Caribe.

01. Voo de Caracas

Não há opções de voos para Los Roques de outras capitais. Você terá que sair da capital venezuelana, Caracas. O voo Caracas-Los Roques dura apenas 15 minutos. Antes de deixar o aeroporto há uma taxa de embarque local, por volta de U$ 6.

02. Aeroporto em Caracas

No aeroporto, cuidado com os cambistas. Além do assédio exagerado, infelizmente é comum o golpe de, ao fazerem câmbio com turistas, “devolverem” uma nota com algum defeito (e falsa), alegando que foi dada pelo próprio turista.

03. Aeroporto em Los Roques

Ao desembarcar do avião em Gran Roque, a principal ilha, é preciso pagar uma taxa de preservação (já que a ilha faz parte do Parque Nacional). O preço é um pouco salgado: aproximadamente U$ 30. Ninguém nos avisou sobre isso em Caracas.

Aeroporto de Los Roques, na ilha Gran Roque | foto: Ricardo Viana

04. Dinheiro em Los Roques

Para maior tranquilidade, leve dinheiro para não precisar sacar lá. Afinal, há apenas um único caixa eletrônico em todo o arquipélago e, se der problema, sua viagem pode acabar.

05. Infraestrutura

As ruas são todas de areia e as casas e pousadas são simples, quase todas sem água quente. Aliás, a água é bem racionada, por já ter havido problemas de abastecimento. Na ilha, o único meio de transporte é um caminhão que recolhe o lixo.

Dicas Los Roques
Vila em Gran Roque, a ilha principal do arquipélago de Los Roques | foto: Ricardo Viana

06. Hospedagem

Hospedamo-nos na Pousada La Laguna, com quartos limpos, ar condicionado e bom café da manhã: pãezinhos, torradinhas, panquecas e bolo (variando conforme o dia), frutas, suco, café, leite, manteiga, mel e geléia. O valor da diária para casal, na alta temporada, é de U$ 100. Na baixa temporada, pelo mesmo preço, o jantar também está incluso. Indicamos também a Pousada Los Corales. E, para quem estiver mais disposto a pagar por mais conforto e luxo, a Pousada Natura Viva. De qualquer forma, não faltam opções, das mais econômicas às mais caras.

07. Caminhando pela cidade

Do cais do pequeno porto, partem os passeios para as demais ilhas. Ali perto, há uma loja que aluga snorkel e nadadeiras para mergulho e um bom café-restaurante: Aquarena. À noite, é um ótimo local para tomar vinho. Cadeiras e pufs são dispostos na areia, de frente para o mar.

08. Cayo D’água

Começamos por Cayo D’água. É a ilha mais distante, com visita permitida. Até lá, é 1 hora de barco. O passeio custa U$ 30, com guarda-sol e cadeiras incluídas. Aliás, sem estes acessórios não é possível permanecer no local. O sol é intenso e não há sombra em lugar algum. A boa notícia é que, usualmente, os hotéis cedem aos seus hóspedes caixas de isopor para levar os alimentos e bebidas.

Dicas Los Roques
Cayo D’água. Uma das belas praias do caribe venezuelano | foto: Ricardo Viana

 

09. Dos Mosquises e Sarquí

Regressando de Cayo D’água para Gran Roque, paramos em mais duas ilhas: Dos Mosquises e Sarquí e Espenquí (ligadas por um banco de areia). Ambas são belas, com mar calmo de águas translúcidas e areia branca e fina.

Dicas Los Roques
Dos Mosquises: aqui há criação de tartarugas | foto: Ricardo Viana


10. Francisquí: a mais bela

Francisquí fica a 20 minutos de barco de Gran Roque. Na nossa opinião, a ilha mais bela. De águas muito calmas e rasas (pode-se caminhar pelos bancos de areia), é ainda excelente para a prática de snorkeling e  windsurf.

Dicas Los Roques
Ilha Francisquí, a uns 20 min de barco de Gran Roque: talvez, a mais bela de Los Roques | foto: Ricardo Viana


11. Madrisquí

Antes de Francisquí, passamos por Madrisquí, a apenas 10 minutos de navegação. Ótima para banho e, também, com águas translúcidas. É ocupada pelas casas de veraneio de venezuelanos. Pelo trajeto, paga-se entre 25 e 30 BsF, ou seja, entre U$ 4 e U$ 6.

Madrisqui: águas translúcidas | foto: Ricardo Viana

 

Mais dicas para você aproveitar sua viagem »

Melhor época para visitar Los Roques

Sempre. O sol brilha praticamente o ano inteiro no arquipélago. Apesar da temperatura média de 30ºC, a brisa leve e constante torna o clima agradável.

Taxa

Ao desembarcar do avião, é preciso pagar uma taxa de preservação (já que a ilha faz parte do Parque Nacional), de U$ 22. Venezuelanos pagam a metade deste valor. Só ficamos sabendo da cobrança lá. Ninguém nos avisou em Caracas. Atenção: para maior tranquilidade, é melhor levar dinheiro para não precisar sacar no local. Afinal, há apenas um caixa eletrônico e, se der problema, sua viagem pode acabar.

Centrinho

Na praça Bolívar há uma farmácia, alguns restaurantes (nós almoçamos no La Chuchera – boa comida) e a única agência bancária – Banesco, de onde pode-se sacar dinheiro de cartões de crédito de diversas bandeiras. Abre das 8h às 12h e das 14h às 17h, de segunda a sexta; e das 8h às 12h, aos sábados. A agência LTA, que opera a maioria dos voos para a ilha, também fica na mesma praça. Importante: na hora de ir embora, os passageiros devem passar na LTA para despachar a bagagem, que é levada pelos funcionários até a pista de pouso. As ruas são todas de areia e as casas e pousadas são simples, quase todas sem água quente. Aliás, a água é bem racionada, por já ter havido problemas de abastecimento.
 

Mais fotos de Los Roques: o paraíso tingido de azul

 

The Chili Beach Jericoacoara  Roteiro sugerido » 11 hotéis no Brasil para conhecer em boa companhia

 

Veja mais roteiros na América do Sul »

Simone Rodrigues é jornalista e apaixonada por cinema e viagem. Registrou a viagem para Los Roques no blog viagem-losroques.blogspot.com.br.

Ricardo Viana é economista e tem a fotografia como hobby. Mais fotos da viagem podem ser conferidas em http://picasaweb.google.com/ricardo.viana.bsb.

Confira oferta de hotéis em Los Roques » bit.ly/hoteis_LosRoques_

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

31 comentários sobre “11 dicas para curtir Los Roques, na Venezuela”

  1. Pôxa, gente, antes de ir pra Los Roques, venham conhecer Maceió!!!! É beeem mais fácil de chegar e bem mais barato! Alugue uma casa e passe as Férias!!!

  2. Muuuito lindo o local! Mais duas dicas: tem duas cias aéreas que fazem Caracas – Los Roques. Recomendo a Aerotuy. (Realmente, são 30-40min de voo, e não 15 como diz a reportagem.) Ficamos na pousada La Casa de Sol, ótimo custo-benefício. É administrada pelos próprios donos, que esbanjam simpatia!

  3. Boa tarde!! Gostaria de ir com a minha família p Los Roques, quantos dias acha bom p ficar na ilha e quanto de dinheiro por pessoas acha razoável levar?

  4. O paraíso é em Los Roques!!
    Amei tudo; minha pousada, Aquarela, a comida , as pessoas , as praias ,areia, não tem para ninguém!!
    Prefiro mil vezes gastar meu dinheiro aí!!

  5. Moro em São Paulo, embarco dia 03 de abril de 2014 e volto dia 16, tenho interesse em conhecer Los Roques, gostaria de saber quantos dias são suficientes para curtir, preço de pousada e quantos bolívares são suficientes. Apesar de estar com a passagem comprada para Caracas, estou com muito medo da violência e do desabastecimento na Venezuela, por isso, penso em ficar uns dias em Isla Margarita e Los Roques. Atenciosamente João Baptista.

  6. Eu e meu marido fomos pra Los Roques e ficamos 11 dias lá. Achei muito tempo, acredito que 7 dias são suficientes.Sobre pousada ficamos na Casa del Sol (ótimo custo-benefício) além do José e da Sol que são maravilhosos e ficamos tb na Pousada La Lagunita, boa tb, mas gostamos mais da primeira. Dinheiro, calculamos o valor dos passeios que queríamos fazer, gastar com lembranças e bebida e comida para o almoço, pq café e jantar estava incluso no valor da hospedagem… Calculei em média R$50,00 por pessoa sendo passeio e alimentação, alguns dias gastávamos mais outros menos. Para o almoço comprávamos pães, frios, snacks, bebidas e água, o José emprestava o cooler e ainda fazia os sanduíches pra gente levar pra praia… Qualquer coisa me manda e-mail: franboiko@gmail.com

  7. Bia, na época, gastamos em torno de 130 a 150 dólares por dia, incluindo já a hospedagem, além, claro, de gastos com alimentação e algum passeio. Os valores podem variar, devido ao câmbio.

  8. este arquipélago famoso por sua beleza é a delicia de muitos que para lá vão em busca da plenitude da serenidade e do pleno gozo da natureza selvagem de um mar prodigioso e feliz!!!